Em vez de transtorno, resíduos da construção podem gerar renda para empresas e municípios

País perde R$ 8 bilhões por ano por não reciclar todo resíduo encaminhado aos aterros e lixões nas cidades. Workshop discute tecnologias e soluções para reverter esse quadro

Os resíduos podem gerar renda, por meio do seu reaproveitamento, além de promover a educação ambiental e a mobilização da sociedade. No entanto, grande parte desses resíduos é descartada em locais impróprios, comprometendo a paisagem local, e podendo degradar o meio ambiente, assoreando os rios e contribuindo com o agravamento do problema da drenagem e das inundações, por consequência.

Relatório do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgado recentemente revela que o País perde R$ 8 bilhões por ano quando deixa de reciclar todo resíduo reciclável que é encaminhado para aterros e lixões nas cidades brasileiras. Segundo a Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, apenas 12% dos resíduos sólidos urbanos e industriais são reciclados e somente 14% da população brasileira são atendidas pela coleta seletiva.

O assunto vai estar no centro dos debates do workshop “Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, que acontece no próximo dia 20 de outubro, na sede da Sociedade dos Engenheiros e arquitetos do Estado do Rio de Janeiro (SEAERJ), no Rio de Janeiro. O evento tem como tema central as soluções e tecnologias para as empresas e administrações municipais que terão de se adaptar às mudanças introduzidas pela nova Política Nacional de Resíduos Sólidos até 2014.

 Potencial de lucro

Os resíduos da construção civil e demolição representam 61% dos resíduos sólidos gerados nas cidades brasileiras, segundo dados da Secretaria Nacional de Saneamento do Ministério das Cidades. Este percentual corresponde a 90 milhões de toneladas de lixo/ano, que geram sérios impactos ambientais. Somente na Cidade de São Paulo, são geradas cerca de 20 mil toneladas por dia de resíduos da construção civil e demolição (RCD).

O volume de entulho gerado nas atividades de construção e demolição na maioria das grandes cidades é duas vezes maior que o volume de lixo sólido urbano (lixo residencial, de saúde, restos de feiras, podas de árvores, entulho etc.). São diversos materiais que podem ser reciclados e reaproveitados durante o processo construtivo como plástico, papel e ferro, mas acabam dispostos de forma inadequada, exigindo a implantação urgente de mecanismos de reciclagem.

 > Saiba como se inscrever aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s