PROCEL SANEAR vai mostrar os caminhos para a eficiência energética em sistemas de saneamento

Seminário discute mecanismos para melhorar o consumo de energia do setor

A energia elétrica é o segundo maior custo das companhias de saneamento, perdendo apenas para os gastos com recursos humanos. Em algumas companhias já é o primeiro fator de custos. Segundo estimativas do PROCEL/SANEAR, Programa de Eficiência Energética da Eletrobrás para o saneamento, os gastos do setor com energia representam cerca de 3% do consumo total do país.

Esse volume representa um gasto anual dos prestadores de serviços de saneamento com energia elétrica em torno de R$ 2,5 bilhões. Considerando a margem possível de economia de cerca de 25%, o custo anual da ineficiência energética no setor representa um gasto adicional de cerca de R$ 600 milhões, que poderiam ser revertidos para a melhoria dos próprios sistemas.

Os caminhos para modificar este quadro vão ser discutidos durante a palestra do Chefe do Departamento de Projetos de Eficiência Energética do Procel/Eletrobrás, Fernando Dias Pinto Perrone, no Seminário 2014 Saneamento na Rede – A chance de um gol de placa na universalização dos serviços de água e esgotoacontece nos dias 06 e 07 de dezembro, no Centro Empresarial Rio. O evento tem por objeto colocar em debate os desafios, necessidades e soluções, através da discussão dos projetos e potencialidades de cada cidade e estado eleitos pela FIFA para sediar a Copa, e as Olimpíadas, com a análise conjuntural da estrutura e gestão do saneamento no Brasil, perspectivas de recursos e formas de otimizar e agilizar os investimento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-Saneamento), modelos e experiências das empresas municipais, estaduais e privadas que atuam no setor em cada uma dessas cidades.

Atualmente, segundo dados do Sistema de Informações sobre Saneamento (SNIS), do Ministério das Cidades, o Brasil possui 27 prestadores de serviços regionais de saneamento (as chamadas companhias estaduais, prestadores que atendem a considerável número de municípios no mesmo estado, limítrofes ou não, uns dos outros); seis microrregionais (prestadores que atendem a dois ou mais municípios limítrofes uns dos outros no mesmo estado); e 1.031 prestadores locais (prestadores que atendem a um único município).

 PROCEL/SANEAR

O PROCEL SANEAR – Programa de Eficiência Energética em Saneamento Ambiental atua de forma conjunta com o Programa Nacional de Combate ao Desperdício de Água – PNCDA e o Programa de Modernização do Setor de Saneamento – PMSS, ambos coordenados pela Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental – SNSA, vinculada ao Ministério das Cidades.

O PROCEL vem atuando no setor de saneamento desde 1996, porém seu foco estava restrito ao uso eficiente de energia elétrica nos conjuntos moto-bombas dos sistemas de saneamento. Com a criação do PROCEL SANEAR, este enfoque foi ampliado e, atualmente, abrange também ações quanto à conservação da água, visando a integrar os dois temas e o desenvolvimento e a operacionalização de projetos e políticas governamentais articuladas.

O PROCEL SANEAR tem como principais objetivos:

  • Promover ações que visem ao uso eficiente de energia elétrica e água em sistemas de saneamento ambiental, incluindo os consumidores finais;
  • Incentivar o uso eficiente dos recursos hídricos, como estratégia de prevenção à escassez de água destinada à geração hidroelétrica;
  • Contribuir para a universalização dos serviços de saneamento ambiental, com menores custos para a sociedade.

Entre os palestrantes já confirmaram presença no Seminário estão:

Fernando Dias Pinto Perrone – Chefe do Departamento de Projetos de Eficiência Energética do Procel/Eletrobras

Newton Lima Azevedo – Vice Presidente da ABDIB (Ass. Bras. da Infra-Estrutura e Indústrias de Base)

Valdir Folgosi – Presidente do SINDESAM (Sind. Nac. das Indústrias de Equip.para Saneamento Bás. e Ambiental)-ABIMAQ (Ass. Bras. da Ind. de Máquinas e Equipamentos)

Gustavo Siqueira – Diretor Setorial da ASFAMAS (Ass. Bras. dos Fabricantes de Materiais para Saneamento)

Silvio José Marques – Presidente Nacional da ASSEMAE (Ass. Nac. dos Serviços Municipais de Saneamento)

Paulo Roberto de Oliveira – Presidente da ABCON (Ass.Bras. das Concessionárias Privadas de Serviços Públicos de Água e Esgoto)

Engº Jairo Tardelli Filho – Gerente do Departamento de Planejamento Integrado da Diretoria Metropolitana da SABESP

Rogério de Paula Tavares Superintendente Nacional de Saneamento e Infraestrutura da Caixa

Guilherme da Rocha Albuquerque – Engenheiro do Departamento de Saneamento Ambiental do BNDES

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s