Debate reúne especialistas da Coppe e Itaipu no Rio

Cabeçalho copy

Tecnologia que permite o armazenamento de hidrogênio em maior quantidade sob a forma de hidretos metálicos pode viabilizar mais rapidamente o uso dessa energia limpa no Brasil. Especialistas vão debater o assunto no 3º Seminário Nacional de Energias Renováveis e Eficiência Energética

 

Um painel intitulado “Hidrogênio, a Energia do Futruro”, programado para o próximo dia 23 de outubro, no Rio, durante o 3º Seminário Nacional de Energias Renováveis e Eficiência Energética – Desafios e soluções para o Brasil produzir mais com menos, vai reunir os especialistas Marcelo Miguel, Coordenador brasileiro da Comissão Interna de Conservação de Energia (Cice) da usina de ITAIPU, Paulo Emílio de Miranda, do Laboratório de Hidrogênio da COPPE/UFRJ, e Dílson Silva dos Santos, Coordenador do Programa de Engenharia Metalúrgica e de Materiais da COPPE/UFRJ.

O Engenheiro Marcelo Miguel, da Itaipu Binacional, vai apresentar o projeto da planta experimental de produção de hidrogênio da usina de Itaipu, as conclusões e resultados obtidos de potencial de produção de hidrogênio e os métodos utilizados. A planta de hidrogênio que a usina Itaipu Binacional está implantando para entrar em operação em 2014 vai permitir à empresa participar deste mercado como fornecedora da tecnología e na produção de hidrogênio, através de mais uma unidade de negocios da empresa. A nova tecnologia vai permitir o aproveitamento pela usina da energía vertida turbinável em momentos que o mercado não absorva na totalidade sua produção, evitando desperdícios de água e, por consequência, energia vertida que poderia ser usada na produção de hidrogênio, contribuindo para o aumento da eficiencia energética da usina.

Por sua vez, o engenheiro Dílson Silva dos Santos vai anunciar os resultados dos estudos desenvolvidos através do Programa de Engenharia Metalurgica e de Materiais da COPPE/UFRJ para desenvolver uma nova tecnologia que permite o armazenamento de hidrogênio sob a forma de hidretos metálicos, que permitem armazenar uma quantidade muito maior de hidrogênio, tornando o processo, portanto, mais econômico, já que podem apresentar excelentes propriedades quanto a densidade energética, volumétrica, estabilidade e fácil manipulação. Segundo o especialista da COPPE, um dos grandes problemas, se não o maior, no que diz respeito à viabilidade da economia do hidrogênio está no fato de não haver uma forma segura e econômica de armazenar o hidrogênio.

Responsável pelo protótipo do ônibus movido a hidrogênio desenvolvido no Laboratório de Hidrogênio da COPPE, no Rio, o professor Paulo Emílio de Miranda defende a mudança da frota movida a diesel por tecnologia 100% nacional e limpa, através de ônibus movidos a hidrogênio. Mas ele admite que ainda há muita resistência dos empresários, que se assustam com o custo inicial do novo modelo, além de outras barreiras como o desenvolvimento de estações de abastecimento de hidrogênio e a qualificação de mão de obra. O protótipo desenvolvido na COPPE roda com hidrogênio, energia elétrica e com um processo que transforma a energia cinética em elétrica. Totalmente silencioso, o ônibus tem 90% de eficiência energética.

O Seminário acontece nos dias 22 e 23 de outubro, no Centro Empresarial Rio, com o objetivo de debater experiências, soluções e novas tecnologias para racionalizar o consumo de energia na indústria, comercio e edificações (públicas e residenciais), reduzindo o custo no processo de produção e no consumo deste insumo, além de estimular o uso de energias renováveis.

As empresas de engenharia, tecnologia, fabricantes de materiais e equipamentos e prestadores de serviços interessados em patrocinar ou apresentar palestras técnicas sobre soluções e tecnologias para o setor nuclear podem entrar em contato com a área comercial da Planeja & Informa Comunicação e Marketing, através do telefone (21) 2244-6211.

As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo email inscricao.planeja@gmail.com, além dos telefones (21) 2262-9401 / 2215-2245.

Estudantes tem 50% de desconto na inscrição.

 

Nomes já confirmados no evento:

  • Amilcar Guerreiro, Diretor de Estudos Econômicos-Energéticos e Ambientais da Empresa de Pesquisa Energética (EPE)
  • Fernando Pinto Dias Perrone, Chefe do Departamento de Projetos de Eficiência Energética da Eletrobras/PROCEL
  • Fernando Malta – CEBDS (Centro Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável)
  • Ricardo Rüther, Departamento de Engenharia Civil – Grupo de Pesquisa Estratégica em Energia Solar, Diretor Técnico do Instituto IDEAL – UFSC
  • Celso Oliveira, Presidente da Associação Brasileira das Industrias de Biomassa e Energia Renovável – ABIB
  • Alfred Szwarc, ÚNICA – União das Indústrias de Cana de Açúcar
  • Isabelle de Loys, Arquiteta e Pesquisadora do IVIG – Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais
  • Maria Paula Martins, Coordenadora do Programa Rio Capital da Energia, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços
  • João Gouveia Ferrão, Diretor de Operações da Supervia
  • Gerson Sampaio – Diretor da TEKNERGIA
  • Engenheiro Marcelo Miguel, Coordenador brasileiro da Comissão Interna de Conservação de Energia (Cice) ITAIPU
  • Célio Bermann – USP – Coordenadoria do Programa de Pós Graduação em Energia
  • Andre Ucchino – arquiteto – Fundação Vanzolini
  • Dilson Silva dos Santos – Programa de Engenharia Metalurgica e de Materiais da COPPE/UFRJ
  • Luiz Cezar Sampaio – ENERSUD
  • Paulo Emílio de MirandaLaboratório de Hidrogênio da COPPE
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s