SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR

  1. Informativo_Energia Nuclear 2014     
  2. Formulário de inscrição_Energia Nuclear 2014

APRESENTAÇÃO

 “Passados dois anos e meio do acidente de Fukushima, é cada vez mais claro que o uso da energia nuclear vai continuar a crescer em todo o mundo nas próximas décadas”, afirma a última edição do “Panorama da Energia Nuclear” publicada pela Gerência de Planejamento Estratégico da Eletrobrás Eletronuclear. Apenas o Japão e a Alemanha reduziram a geração elétrica por fonte nuclear. China, Índia, Coréia do Sul e Rússia continuam liderando a geração deste tipo de energia.

Pelo menos 65 países que não possuem tecnologia nuclear já expressaram seu interesse na construção de reatores ou para o desenvolvimento de uma indústria nesse sentido junto a Agencia Internacional de Energia Atômica (AIEA). Por sua vez, as potencias em expansão querem multiplicar as usinas em seu território.

Mesmo após o acidente de Fukushima, muitos países consideram a ampliação internacional da energia nuclear uma opção à mudança climática e uma alternativa às oscilações de preços de produtos energéticos, além de ser uma proteção à incerteza de suprimento de combustíveis fósseis.

As principais barreiras à expansão nuclear são a segurança das usinas, a disposição dos rejeitos radioativos e a proliferação de armas nucleares, além do custo de construção e manutenção e a dificuldade de fornecimento para os grandes componentes nucleares.

Um outro fator fica mais evidente para o sucesso da tecnologia nuclear: o indispensável suporte da sociedade, através de uma comunicação adequada, precisa e oportuna, de forma a dar mais confiança à população, principalmente às pessoas que possam vir a ser afetadas pelas operações das empresas nucleares.

O acidente de Fukushima se tornou um divisor de águas para a indústria nuclear. Deixa um legado valioso de lições para melhorar a segurança das usinas mundo afora. As soluções decorrentes dessa experiência exigirão milhões em investimento, mas certamente trarão novas tecnologias, empregos e muito mais segurança, para antigos e novos projetos.

O mundo precisa repensar também as formas de financiar o desenvolvimento nuclear, já que o acidente de Fukushima fez desaparecer do mercado internacional as fontes tradicionais de recursos e a expansão não pode ficar restrita a fontes de governo. O Brasil tem em seus planos de expansão da matriz elétrica a construção de quatro a oito usinas nucleares até 2030. Novos sítios e tipos de reatores já estão em estudo no País e deverão ser anunciados em breve.

Uma opção que amadurece rapidamente é o ingresso do capital privado na geração de energia nuclear no Brasil, e o governo já dá sinais de que isso está bem próximo da realidade. Reconhece, inclusive, que sem investimentos da indústria os projetos posteriores a Angra 3 podem não existir.

A falta de mão de obra especializada é outro desafio. Atualmente, 150 mil pessoas trabalham no setor nuclear, mas destas 38% estarão aposentadas em cinco anos. A reposição deste contingente altamente especializado requer políticas próprias de cada país, com a criação de cursos universitários que só atrairão alunos se houver perspectivas de emprego futuro.

Todas essas questões precisam ser discutidas com o setor nuclear e com a sociedade, cadeia industrial, Academia, associações profissionais e empresariais, governo etc. O Seminário Internacional de Energia Nuclear tem sido um importante espaço para esse debate e vai trazer essas e outras questões em sua agenda de 2014, reunindo todos os segmentos do setor nuclear, além de promover a difusão de novas tecnologias e soluções voltadas à segurança das usinas nucleares, bem como os diversos usos da radiação para fins pacíficos.

QUEM DEVE PARTICIPAR?

 Empresas: Gestores, técnicos e executivos do setor nuclear; concessionárias de energia; empresas de engenharia industrial, construção e serviço, siderurgia e mineração; empresas de consultoria, prevenção de risco e gestão de crises; empresas de projetos e desenvolvimento tecnológico; empresas de informática; empresas de logística, fornecedores de equipamentos, aço, tubos, materiais para engenharia elétrica, escritórios jurídicos, ONG’s, empresas e órgãos governamentais, governo federal, estadual e municipal, entidades de classe de engenharia, universidades e institutos de pesquisa.

Áreas: Agências internacionais, setores de engenharia, Meio Ambiente, Economia, Administração, Qualidade, Industrial, Projetos, Assuntos Institucionais, Jurídica, Recursos Humanos e outras.

Cargos: Empresários, Diretores, Gerentes, Supervisores, Coordenadores, Advogados, Técnicos, Consultores, Especialistas, Ambientalistas e outros profissionais envolvidos ou responsáveis por programas de segurança e afins.

INFORMAÇÕES GERAIS

Datas: 14 e 15 de maio de 2014

Local: CENTRO EMPRESARIAL RIO (ED. ARGENTINA)

Endereço: Praia de Botafogo, 228 – 2º andar – Auditório

Metodologia: A programação do evento será apresentada através de palestras e painéis.

INSCRIÇÕES ABERTAS – TABELA DE INVESTIMENTO

PERÍODO

VALORES

11/12 a 28/02

R$ 300,00

01/03 a 30/04

R$ 350,00

01/05 a 15/05

R$ 400,00

Baixe aqui o formulário de inscrição, preencha e encaminhe para:

inscricao.planeja@gmail.com

Em caso de dúvida ligue: 21 2262-9401

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s