“Free Flow”: passe livre para a mobilidade e a sustentabilidade

Tecnologias aplicadas à gestão das rodovias brasileiras serão debatidas durante o III Seminário Sistemas Inteligentes de Transportes no Rio de Janeiro

Com o rápido avanço tecnológico que vem ocorrendo pelo mundo nos sistemas de gestão de rodovias, as formas de pagamentos de pedágios no Brasil deverão sofrer profundas modificações nos próximos anos. A adoção de sistemas de cobranças eletrônicas como o “free flow” (fluxo livre), que permitem o reconhecimento automático das placas, evitando a parada dos veículos nos boxes de cobrança, certamente vai modernizar a relação das concessionárias com os usuários, dando mais agilidade e mobilidade ao sistema, tanto nas estradas quanto nos centros urbanos.

Os avanços e modelos tecnológicos proporcionados pela solução “free-flow” vão estar no centro dos debates do III SEMINÁRIO SISTEMAS INTELIGENTES DE TRANSPORTES, promovido com este objetivo pela Planeja & Informa Comunicação e Marketing, em parceria com a COPPE/UFRJ e a UERJ. Girando em torno dos temas “Tecnologia, Mobilidade e Sustentabilidade”, o evento acontecerá nos dias 25 e 26 de junho de 2012, no Centro Empresarial Rio. O foco desta terceira edição será apresentado por palestras, painéis e estudos de caso.

Com o Rio de Janeiro se preparando para receber grandes eventos internacionais neste e nos próximos anos,  os Sistemas Inteligentes de Transportes (SITs) representam novos meios de se pensar a mobilidade urbana, unindo recursos de informação e comunicação  telemática e ferramentas de gerenciamento  dos transportes,. A utilização eficiente dessas tecnologias tem gerado resultados satisfatórios em várias partes do mundo, promovendo a redução de congestionamentos e dos tempos de viagem, melhoria na qualidade do ar pela redução da emissão de poluentes, possibilidade da indicação de rotas alternativas, o aprimoramento dos níveis de serviço e aumentado a produtividade, a confiabilidade e a segurança dos sistemas de transporte.

Para se inscrever no III SEMINÁRIO SISTEMAS INTELIGENTES DE TRANSPORTES, basta solicitar o formulário de inscrição pelo e-mail inscricao@planejabrasil.com.br ou ligar para o Atendimento ao Participante nos telefones (21) 2262-9401/ 2244-6211.

Anúncios

Evento ITS

25 e 26 de Junho de 2012
(Nova data!)
Centro Empresarial Rio (Edifício Argentina) – Botafogo – Rio de Janeiro

A escolha do Rio de Janeiro para sediar a Copa das Confederações em 2013, além do o encontro mundial de jovens católicos de mais de cem países; a Copa do Mundo de Futebol em 2014; os Jogos Olímpicos em 2016 e inúmeros outros grandes eventos internacionais consolidam a vocação da Cidade Maravilhosa para abrigar grandes eventos internacionais. Traz receita, projeção internacional, coloca os holofotes do mundo sobre o Brasil, mas também traz muita responsabilidade.

Este ano, o Rio de Janeiro abrigará, em julho próximo, a Rio+20, quando Chefes de Estado de cerca de 150 países se reunirão para discutir novos paradigmas de desenvolvimento, conciliando o crescimento econômico com baixas emissões de carbono. O encontro, que reunirá também milhares de representantes da sociedade civil de várias partes do mundo, será, sem dúvida, mais um ponto a favor do Rio e do Brasil, mas também um belo teste à nossa capacidade de dar mobilidade e serviços adequados a tanta gente.

Eventos de grande porte exigem infraestrutura impecável em diversas áreas ligadas à prestação de serviço, segurança, mobilidade etc., para que um fator positivo de promoção de nossas empresas e instituições não se transforme num fator negativo para a imagem do país no exterior. E é preciso pensar também na questão da sustentabilidade, que hoje baliza todos os projetos nas cidades modernas.

A área de gestão, operação e infraestrutura de transportes é um desses “calcanhares de Aquiles”. Precisa de suporte tecnológico, segurança e instrumentos eficientes de gestão da operação, para que a mobilidade não seja prejudicada em função da agenda desses eventos.

Através da união de recursos de informação e comunicação  telemática e de ferramentas de gerenciamento  dos transportes, os Sistemas Inteligentes de Transportes (SITs) representam novos meios de se pensar a mobilidade urbana. A utilização eficiente dessas tecnologias tem gerado resultados satisfatórios, promovendo a redução de congestionamentos e dos tempos de viagem, melhoria na qualidade do ar pela redução da emissão de poluentes, possibilidade da indicação de rotas alternativas, o aprimoramento dos níveis de serviço e aumentado a produtividade, a confiabilidade e a segurança dos sistemas de transporte.

O momento é totalmente oportuno: O Brasil vive, hoje, uma situação impar no que se refere a investimentos, especialmente nas áreas de infraestrutura e tecnologias para mobilidade urbana, veículos e cargas, de forma a transformar em legado social as possibilidades de investimentos geradas por conta dos grandes eventos que vai sediar. É preciso debater e buscar agora as melhores soluções para o setor.

O III SEMINÁRIO SISTEMAS INTELIGENTES DE TRANSPORTES, promovido com este objetivo pela Planeja & Infoma Comunicação e Marketing e  acontecerá nos dias 25 e 26 de junho de 2012, no Rio de Janeiro.

REALIZAÇÃO

QUEM DEVE PARTICIPAR?

Executivos, técnicos, analistas e engenheiros do DENATRAN, DETRAN, CET-RIO, ANTT, Fetranspor, Ministério dos Transportes, Cidade, Ciência e Tecnologia, Secretarias (Municipais e Estaduais), Órgãos do Governo, Seguradoras, Transportadoras, Empresas de ônibus, Empresas de logística, Concessionárias rodoviárias, Supervia, Metro, Fornecedores e integradores de equipamentos e sistemas.

INFORMAÇÕES GERAIS

Período: 25 e 26 de junho de 2012 (nova data!)

Duração: 2 dias – 08 horas/dia

Local: Centro Empresarial Rio (Edifício Argentina) – Auditório – 2º Andar

Endereço:    Praia de Botafogo, 228 – 2º andar – Botafogo –
Rio de Janeiro – RJ

Participantes:  Total previsto: 150 pessoas

TAXA DE INSCRIÇÃO INDIVIDUAL

COMO SE INSCREVER

  • Solicite o formulário de inscrição pelo e-mail: inscricao@planejabrasil.com.br
  • ou ligue para o Atendimento ao Participante: (21) 2262-9401 / 2215-2245.

Aproveite e garanta a sua participação! Vagas limitadas!

A taxa de inscrição contempla:

– Ingresso a toda agenda do seminário;

– Material de apoio ao participante;

– Certificado de participação do seminário;

Formas de pagamento:

Boleto bancário

Depósito bancário

Observações:

(I): DESISTÊNCIA DE INSCRIÇÃO. O participante deverá comunicar a desistência até 03 dias antes do evento. O não comunicação implicará no pagamento integral da taxa de inscrição.

(II): A organização irá reter 20% do valor da inscrição referente à taxa administrativa em decorrência ao cancelamento.

OBSERVAÇÃO (III): É obrigatório o envio do comprovante de pagamento (regra válida para ambas formas de pagamento).  O prazo de pagamento tanto para boleto bancário quanto para depósito são de três dias úteis – com exceção de pagamento via empenho (Pagamento de empenho falar com Lívia de Paula).

Cagece detalha investimentos até a Copa do Mundo de 2014

Previsão de investimentos da empresa em obras de abastecimento e de esgotamento sanitário na capital e interior até 2014 é de cerca de R$ 700 milhões

De acordo com último balanço do PAC divulgado pelo governo, do total de R$ 35,9 bilhões contratados com base em projetos selecionados a partir de 2009 pelo Programa, cerca de R$ 700 milhões estão sendo aplicados pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará (CAGECE), uma das cidades sedes da Copa do Mundo.

Com previsão de conclusão até 2014, cerca de 73% dessas obras estão em andamento, envolvendo R$ 172 milhões em investimentos em sistemas de abastecimento de cidades com mais de 50 mil habitantes e R$ 188 milhões em áreas com população inferior a 50 mil. Na área de esgotos, a previsão de investimentos até 2014 é de R$ 210 milhões em obras de cidades com menos de 50 mil pessoas e R$ 54 milhões em áreas com população superior a esse contingente.

A CAGECE, que vem investindo pesado para estruturar a área de saneamento de Fortaleza, confirmou sua participação no Seminário 2014 – Saneamento na Rede, que acontece nos próximos dias 06 e 07, no Centro Empresarial Rio. O Diretor Comercial da CAGECE, Antônio Alves Filho, vai fazer palestra sobre as ações da empresa na capital e no interior do Estado.

Com a oficialização de Fortaleza como cidade-sede da Copa de 2014, a capital cearense atende plenamente exigências da FIFA com os investimentos em andamento, do ponto de vista do saneamento, e promete deixar um legado importante para a população depois do mundial. Mais da metade da cidade já possui rede coletora de esgoto, com 100% de tratamento da vazão coletada.

Segundo informações divulgadas pela mídia, somente com recursos próprios a CAGECE vai investir, até 2012, mais de R$ 70 milhões, além dos recursos captados de órgãos financiadores. A CAGECE é uma das empresas estaduais que goza de boa saúde financeira, o que vem lhe permitindo contrair empréstimos para expandir mais os serviços de saneamento.

O Seminário 2014 – Saneamento na Rede – A chance de um gol de placa na universalização dos serviços de água e esgoto, que acontece no Centro Empresarial Rio, no Rio de Janeiro, tem como finalidade discutir, entre outros assuntos, as metas e soluções para execução de projetos na área de saneamento até a Copa de 2014. O objetivo é colocar em debate os desafios, necessidades e soluções, através da discussão dos projetos e potencialidades de cada cidade e estado eleitos pela FIFA para sediar a Copa e as Olimpíadas.

Brasil joga no ralo R$ 4 bilhões/ano com perdas de água tratada

Importância do diagnóstico de perdas nos sistemas de abastecimento de água para otimizar aplicação de recursos e conter o desperdício será tema de palestra da SABESP

O volume de água desperdiçado no Brasil após o tratamento chega em média a 40%, segundo dados do último relatório do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), do Ministério das Cidades, e equivale ao dobro do índice considerado aceitável por técnicos do setor, e muito superior a países do primeiro mundo como o Japão, onde as perdas de água tratada não passam de 4,7%. Considerando uma tarifa média de água de R$ 1,78, o prejuízo chega a R$ 2,8 bilhões por ano, apenas com as chamadas perdas aparentes. Se consideradas as perdas reais (vazamentos na rede), esse prejuízo é superior a R$ 4 bilhões.

Para otimizar os investimentos no controle de perdas, o engenheiro da SABESP, Jairo Tardelli Filho – Gerente do Departamento de Planejamento Integrado da Diretoria Metropolitana, defende a importância do diagnóstico das perdas nos sistemas de abastecimento. Segundo ele, isso vale tanto para as perdas reais (físicas, vazamentos) quanto aparentes (não físicas, comerciais), considerando as perdas em termos de volumes e de faturamento.

O gerente da SABESP participa nos próximos dias 06 e 07 de dezembro do Seminário 2014 – Saneamento na Rede – A chance de um gol de placa na universalização dos serviços de água e esgoto. O evento, que acontece no Centro Empresarial Rio, no Rio de Janeiro, tem como finalidade discutir, entre outros assuntos, as metas e soluções para execução de projetos na área de saneamento. O objetivo é colocar em debate os desafios, necessidades e soluções, através da discussão dos projetos e potencialidades de cada cidade e estado eleitos pela FIFA para sediar a Copa e as Olimpíadas.

Para os especialistas do setor, o problema das perdas no Brasil se resume numa palavra: gestão. Durante 365 dias do ano se joga pelo ralo milhares e milhares de litros de água tratada, sendo que muitas empresas sequer se dão conta de qual é esse volume real, por falta de mecanismos e sistemas de medição e gestão. E as perdas não são apenas ambientais: se considerarmos as perdas reais (ou seja, vazamentos), o prejuízo no Brasil é muito maior.

Desoneração poderá garantir mais R$ 2 bilhões por ano ao saneamento

Projeto em análise pelo Ministério das Cidades prevê isenção de PIS e Cofins para empresas investirem em obras do setor

O secretário de Saneamento do Ministério das Cidades, Leodegar da Cunha Tiscoski, declarou ao Jornal Brasil Econômico que a pasta está analisando projeto que prevê a isenção tributária do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins)  para empresas de Saneamento.

A iniciativa, que pode provocar a economia de R$2 bilhões para o setor, é bastante viável para o governo, segundo o secretário, mas as companhias devem investir o recurso em infraestrutura de saneamento como contrapartida.

A idéia, que ainda precisa da aprovação do Ministério da Fazenda e do Planejamento, é um passo importante para o objetivo da universalização dos serviços de saneamento nos próximos 20 anos, já que é necessário multiplicar os investimentos na área para cumprir a meta.

Entre os Censos de 2000 e 2010, a proporção de domicílios ligados à rede geral de esgoto e fossa séptica aumentou em quatro das cinco regiões do país. Mas a discrepância entre elas é muito grande. A região Sudeste mantém as melhores condições de esgotamento sanitário, passando de 82,3% dos domicílios com o serviço em 2000, para 86,5%, em 2010. Na região Norte, apenas 46,6% das casas nas áreas urbanas contam com o serviço. Os desafios ainda são muitos.

Esse, entre outros temas, será abordado nos próximos dias 06 e 07 de dezembro, no Seminário 2014 – Saneamento na Rede – A chance de um gol de placa na universalização dos serviços de água e esgoto, que será realizado no Centro Empresarial Rio, no Rio de Janeiro. Estarão em debate modelos e experiências das administrações municipais, estaduais e privadas que atuam no setor de saneamento, além de um inventário dos desafios e potencialidades apresentados pelas cidades e estados sedes da Copa e Olimpíadas.

CEDAE quer deixar saneamento pronto no Rio até a Copa e Olimpíadas de 2016

Nova Cedae vai investir R$ 1 bilhão até 2014, e BID garante mais R$ 452 milhões – quase um US$ 1 bilhão – para despoluir a Baía de Guanabara

O cronograma de obras, tanto de esgotamento sanitário como de abastecimento de água está em ritmo acelerado e será finalizado até 2014, dois anos antes dos Jogos Olímpicos, segundo garantiu o presidente da Nova Cedae, Wagner Victer, durante palestra no seminário Infrastructure Investment World Brasil 2011.

Segundo o presidente da Nova Cedae, que já confirmou sua participação no Seminário 2014 – Saneamento na Rede – A chance de um gol de placa na universalização dos serviços de água e esgoto, a companhia vai investir cerca de R$ 1 bilhão em obras de saneamento básico, dentre elas, a ampliação em 700% de tratamento de esgoto da Baía de Guanabara. De dois mil litros em 2006, o sistema passará a operar com 14 mil litros por segundo em 2014]- ano da Copa do Mundo no Brasil.

Os projetos da CEDAE para despoluir a Baia de Guanabara acabam de ganhar um reforço financeiro de peso: o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) anunciou a aprovação de um empréstimo de US$ 452 milhões para a melhoria da coleta de esgotos nos municípios afluentes da Baía de Guanabara, um dos maiores símbolos da beleza natural do Rio de Janeiro. Com os recursos, o Governo do Estado do Rio de Janeiro avançará com o Programa de Saneamento Ambiental dos Municípios do Entorno da Baía de Guanabara (PSAM), uma região que abriga uma população de mais de 10 milhões de pessoas.

O Seminário 2014 – Saneamento na Rede acontece no Centro Empresarial Rio, nos dias 06 e 07 de dezembro, no Rio de Janeiro. O  objetivo é colocar em debate os desafios, necessidades e soluções, através da discussão dos projetos e potencialidades de cada cidade e estado eleitos pela FIFA para sediar a Copa e as Olimpíadas. A discussão prevê análises conjunturais da estrutura e gestão do saneamento no Brasil, perspectivas de recursos e formas de otimizar e agilizar os investimento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-Saneamento), modelos e experiências das empresas municipais, estaduais e privadas que atuam no setor em cada uma dessas cidades.

Setor de Saneamento é o primo pobre do PAC2

Balanço do Programa revela que o setor de saneamento terá menos de 1% dos recursos do PAC2 previstos para o período entre 2011 e 2014. De 2007 a 2009, governo garante que o setor recebeu R$ 28,8 bilhões e que 53% das obras estão em execução

Do total de investimentos previstos pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2) para o período de 2011 e 2014, de R$ 955 bilhões, o setor de saneamento receberá em contratações apenas R$ 4,8 bilhões para obras de abastecimento de água e de esgotamento sanitário. O volume total de projetos selecionados e em processo de seleção até 2014 soma R$ 9,3 bilhões – menos de um por cento do orçamento total do programa e menos da metade do que o próprio governo estima como necessidade para universalizar os serviços em 20 anos.

Os dados constam do último balanço (o segundo) do PAC2, divulgado pelo governo no último dia 22, que garante que, entre 2007 e 2009, foram contratados para obras de água e esgoto recursos totais de 28,8 bilhões, quase 100% dos R$ 29 bilhões selecionados para o período, de R$ 29 bilhões.

Pelos dados do governo, foram contratados 414 empreendimentos para abastecimento de água em 26 estados e 274 municípios, num total de R$ 5,5 bilhões. Desses projetos, 97% das obras foram iniciadas e estão atualmente com 54% de execução. Já na área de esgoto, segundo o balanço,  foram contratados 922 projetos em 26 estados e 447 municípios, num total de R$ 16,3 bilhões. Cerca de 96% das obras foram iniciadas, com 53 % de execução no momento, segundo informa o balanço do PAC2.

Os dados indicam ainda que as ações finalizadas do PAC2 somam, até setembro de 2011, 11,3% do total previsto para concluir até 2014. Entre janeiro e setembro deste ano, foram executados R$ 80,2 bilhões para conclusão dessas obras. Por outro lado, a execução orçamentária do PAC foi de R$ 143,6 bilhões no período ou 15% do total previsto para executar até 2014.

O assunto vai ser tema um dos temas centrais do Seminário 2014 – Saneamento na Rede – A chance de um gol de placa na universalização dos serviços de água e esgoto, que acontece no Centro Empresarial Rio, no Rio de Janeiro. O evento vai discutir, entre outros assuntos, as metas e soluções para execução de projetos na área de saneamento. O objetivo é colocar em debate os desafios, necessidades e soluções, através da discussão dos projetos e potencialidades de cada cidade e estado eleitos pela FIFA para sediar a Copa e as Olimpíadas. A discussão prevê análises conjunturais da estrutura e gestão do saneamento no Brasil, perspectivas de recursos e formas de otimizar e agilizar os investimento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-Saneamento), modelos e experiências das empresas municipais, estaduais e privadas que atuam no setor em cada uma dessas cidades.

Para se inscrever no Seminário 2014 Saneamento na Rede – A chance de um gol de placa na universalização dos serviços de água e esgoto”, basta solicitar o formulário de inscrição pelo e-mail cristiana.iop@planejabrasil.com.br ou ligar para o Atendimento ao Participante nos telefones (21) 2262-9401/ 2244-6211.

As vagas são limitadas.

Entre os palestrantes já confirmaram presença no Seminário 2014 – Saneamento na Rede:

 Rogério de Paula Tavares Superintendente Nacional de Saneamento e Infraestrutura da Caixa

Guilherme da Rocha Albuquerque – Engenheiro do Departamento de Saneamento Ambiental do BNDES

Fernando Dias Pinto Perrone – Chefe do Departamento de Projetos de Eficiência Energética do Procel/Eletrobras

Silvio José Marques – Presidente Nacional da ASSEMAE (Ass. Nac. dos Serviços Municipais de Saneamento)

Walder Suriani – Superintendente Executivo da AESBE (Ass. das Empresas de Saneamento Básico Estaduais)

Engº Mauro Obladen de Lara – Diretoria de Operações da SANEPAR

José Luiz Lins dos Santos – Presidente da ABAR (Ass. Bras. de Agências de Regulação) Newton Lima Azevedo – Vice Presidente da ABDIB (Ass. Bras. da Infra-Estrutura e Indústrias de Base)

Valdir Folgosi – Presidente do SINDESAM (Sind. Nac. das Indústrias de Equip.para Saneamento Bás. e Ambiental)-ABIMAQ (Ass. Bras. da Ind. de Máquinas e Equipamentos)

Gustavo Siqueira – Diretor Setorial da ASFAMAS (Ass. Bras. dos Fabricantes de Materiais para Saneamento)

Paulo Roberto de Oliveira – Presidente da ABCON (Ass.Bras. das Concessionárias Privadas de Serviços Públicos de Água e Esgoto)

Engº Jairo Tardelli Filho – Gerente do Departamento de Planejamento Integrado da Diretoria Metropolitana da SABESP